BH Nostalgia: Outubro 2008


quarta-feira, 29 de outubro de 2008















Igreja São José

Vista do exterior da Igreja Matriz de São José. Foto da década de 1930.



















Igreja São José

Mais do que a Matriz, a imagem revela um pouco da vida da cidade em hora de missa: mulheres elegantes de chapéu e sombrinha, e, confabulando na porta da igreja, um grupo de rapazes bem vestidos. Entretanto, sentados nos degraus, os mendigos são a nota triste. Foto de 1928.



















Ontem e Hoje 6

Igreja do Sagrado Coração de Jesus em 1920 e em 2008;
Sede do Automóvel Clube de Belo Horizonte em 1943 e em 2008;
Conservatório Mineiro De Música em 1943 e em 2008.



















Igreja São José

A Igreja Matriz de São José em diferentes épocas, ao longo de 80 anos.
Fotos de 1928 a 2008.

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Vista do Centro











Em primeiro plano a Igreja São José, concluída na década de 1910. Rara imagem colorida (na época) da Capital, publicada na National Geographic Magazine americana de Outubro de 1948.














Praça da Liberdade

No início do século passado, a Praça da Liberdade mais parecia um parque, com muitas árvores frondosas e gramado para pisar. Foto de 1914.












Viaduto Santa Tereza

A Ponte Melo Viana, conhecida como Viaduto Santa Tereza, foi concluída em 1929, sob projeto de Emílio Henrique Baumgart, sendo obra pioneira no país quanto ao uso de concreto armado. Aqui vemos a Serraria Souza Pinto ao fundo e os locais onde seria construído o Edifício Chagas Dória e aberta a Rua Itambé anos mais tarde.
Foto do início da década de 1930.












Viaduto Santa Teresa

Neste Cartão Postal, uma imagem típica da Capital, a partir do Viaduto Santa Teresa, mostrando ao fundo os Edifícios Sul-América e Sulacap, projetos de Roberto Capello, em fase final de construção; eles foram inaugurados entre os anos 1946-1947. Foto de 1946.













Viaduto Santa Teresa

O Viaduto Santa Teresa se chamava Viaducto Bello Horizonte. À esquerda, a Serraria Souza Pinto, a agência dos Correios e Telégrafos, já demolida e, reinando absolutas, as torres da Matriz da Igreja São José.
Foto de 1930.



















Avenida Afonso Pena

Imagem clássica da Avenida Afonso Pena ainda coberta de fícus podados em linhas retas. O edifício Acaiaca já havia sido inaugurado; o Parque Municipal ainda não possuía as árvores frondosas de hoje.
Foto de 1948.













Velório de Padre Eustáquio

A imagem mostra o cortejo fúnebre de Padre Eustáquio no bairro que hoje tem seu nome e que na época era considerado lugar distante. A igreja com seu nome seria construída anos depois no local da foto. Ao fundo, trecho do centro e a Serra do Curral. Foto de 1943.













Escola de Direito

Na segunda metade da década de 1920 concretiza-se um antigo sonho: a criação da Universidade de Minas Gerais. Em 15 de Novembro de 1927, tomou posse F.Mendes Pimentel, primeiro reitor da UMG. Federalizada anos mais tarde, transformou-se na atual UFMG. A imagem mostra o antigo prédio da Faculdade de Direito na Praça Afonso Arinos, que fora demolido para dar lugar ao atual.
Foto de 1927.













Colégio Arnaldo

O prédio do Colégio Arnaldo, localizado na Praça João Pessoa, no bairro Santa Efigênia, permanece bem conservado e majestoso.
Foto de 1923.













Cinema Odeon

O cinema Odeon localizava-se na Rua da Bahia quase esquina com Avenida Afonso Pena.
Foto de 1923.



















Cinema Odeon

O Cinema Odeon localizava-se na Rua da Bahia, entre o Parc Royal e o Bar do Ponto. Era, além do Teatro Municipal, uma das melhores casas de diversão da cidade. Possuía uma das melhores orquestras para acompanhar os filmes mudos. Segundo a revista ilustrada Tank, em 1920, "o Odeon é atualmente, em Bello Horizonte, o lugar onde se reputam e consolidam a elegância, o bom gosto e o refinamento da first class".
Foto da década de 1930.



















Edifício do Parc Royal

Em 1921, a inauguração do Parc Royal, projeto do arquiteto carioca Luís de Morais Júnior, foi dos eventos mais importantes da década, na ótica dos elegantes da cidade. Localiza-se na Rua da Bahia, próximo ao atual Othon Palace Hotel.
Foto de 1923.












Cine Metrópole

Ambicionando construir um teatro maior, o prefeito Juscelino Kubitschek vendeu o antigo Teatro Municipal à empresa Cine Teatral Ltda. Em Maio de 1942 foi inaugurado, assim, o Cine Metrópole. A velha esquina da Rua da Bahia com Rua Goiás assistiu, primeiro, à despedida do Teatro Municipal, depois à do próprio Cine Metrópole que, apesar das manifestações em contrário, foi demolido em 1983, sendo construído em seu terreno o prédio do Bradesco. A mobilização em torno da preservação do prédio transformou-se num marco das discussões acerca do patrimônio histórico de Belo Horizonte. Na foto, o cartaz anunciava o filme de 1943 "O Anjo Perdido"(Lost Angel), com a garota Margareth O'Brien, então no auge da fama. À esquerda, as torres dos edifícios Sulamérica e Sulacap ainda estavam em obras. Foto de 1945.













Praça da Liberdade

Vista Parcial da Praça da Liberdade. Ao fundo, o emergente bairro de Lourdes; à frente, a Avenida Brasil. No pequeno quarteirão triangular à esquerda seria construído anos mais tarde o Edifício Niemeyer. Foto de 1943.



















Igreja São José

Foto de 1943.

Igreja de Nossa Senhora da Boa Viagem












Antiga Matriz de Nossa Senhora da Boa Viagem, datada do Século XVIII e que serviu ao antigo Arraial do Curral del-Rei. Em 1911, foram retiradas as torres e feita uma pequena reforma na frente da igreja. Nesta mesma época e no mesmo local, lançou-se a pedra fundamental da nova igreja, em estilo gótico. Durante um bom tempo ocuparam o mesmo lugar as duas edificações: o antigo templo, considerado dissonante com os padrões estéticos da Capital, e o novo, ainda inacabado. Observe à direita o antigo Colégio Normal, atual Instituto de Educação e a Igreja do Sagrado Coração de Jesus, na Avenida Alfredo Balena, esquina com Avenida Carandaí.
Foto da década de 1910.













Avenida Afonso Pena

Início dos trabalhos de substituição da pavimentação da Avenida Afonso Pena.
Foto de 1940.













Avenida Afonso Pena
Avenida Afonso Pena depois de asfaltada.
Foto de 1942.












Fazenda do Leitão
Antiga Sede da Fazenda do Leitão. Atual Museu Abílio Barreto.
Foto de 1940.











Avenida Afonso Pena

Vista parcial do Centro.
Foto de 1942.









Abrigo de bondes da Praça Sete
"Domingos de sol, missas pela manhã na Igreja São José e depois desfile de fiéis na Avenida Afonso Pena. À tarde, após a saída da matinée do Cine Brasil, paradas de moda e elegância movimentam a avenida. O coração da cidade está, em verdade, nos abrigos de bonde na Praça Sete".
Foto de 1943.










Praça da Liberdade
Foto de 1943.










Conservatório Mineiro de Música
Foto de 1943.












Grupo Escolar Pedro II
Foto de 1943.












Avenida Afonso Pena

Vista da Avenida Afonso Pena, na qual aparecem o prédio dos Correios, a Delegacia Fiscal, a Agência de Bondes Viação Elétrica e a área do Parque Municipal, bem maior do que é hoje e que começou a ser reduzida ainda na década de 1910, cedendo o terreno para a construção de um forno de incineração de lixo.
Foto de 1911.











Avenida Afonso Pena

A imagem, feita a partir da torre da Matriz da Igreja São José, permite uma visão bastante ampla da cidade. No primeiro plano, a Avenida Afonso Pena, o templo metodista-construído em 1905, onde está hoje o Edifício Acaiaca-e a Rua Espírito Santo, destacando-se o antigo prédio do Colégio Isabela Hendrix. Ao fundo, toda a região em torno da antiga estação ferroviária, vendo-se, inclusive, as construções do alto da Floresta. Foto de 1911.

















Cine Pathé

Houve um tempo em que para ir ao cinema em Belo Horizonte era só atravessar a rua. A cidade estava cheia de enormes salas espalhadas pelos bairros centrais. Moradores do Calafate, Padre Eustáquio, Lagoinha, Santa Efigênia tinham os filmes de Hollywood-que já tinham invadido os cinemas do mundo inteiro-como um entretenimento cotidiano e familiar na vizinhança. Mas, nesse tempo, na década de 1940, quem morava no Funcionários ainda não tinha o mesmo privilégio, embora fosse um bairro de elite. Mas em 1948, há exatos 60 anos, veio o que faltava ao Funcionários, mais especificamente à área do bairro conhecida como Savassi-naquele ano o Cine Pathé foi construído. O filme de estréia foi "Devoção", um típico melodrama de Hollywood, produzido pela Warner Brothers. Nos anos seguintes, na década de 1950, foram exibidos lá grandes sucessos de bilheteria como "O Maior Espetáculo da Terra", "20 Mil Léguas Submarinas", "O Homem que Sabia Demais". Mas foram os anos 1960 que vieram definir a personalidade engajada, estética e ideologicamente, do Cine Pathé. Um grupo de críticos do Centro de Estudos Cinematográficos(CEC)tranformou o Pathé num "cinema de arte" no final daquela década. Foi o Pathé que abriu as portas para o cinema europeu, para a Nouvelle Vague, o cinema italiano. Depois que o Cine Pathé foi fechado há 10 anos, o número 315 da avenida Cristóvão Colombo foi transformado num estacionamento. Foto de 1949.

segunda-feira, 27 de outubro de 2008












Palacete Dantas
Em 1920, o Palacete Dantas serviu de residência para o então presidente do Estado, Arthur Bernardes, uma vez que o rei Alberto I da Bélgica e sua esposa ficaram hospedados no Palácio da Liberdade. Foi projetado por Luis Olivieri em estilo eclético e construído pelo proprietário José Dantas em 1915. Hoje abriga a sede da Secretaria de Estado da Cultura. Foto de 1920.

















Parque Municipal
Pessoas muito queridas passeiam no Parque Municipal, tendo ao fundo os edifícios Sulamérica e Sulacap. Foto de Março de 1948.











Viaduto Santa Teresa

O Viaduto Santa Teresa se chamava Viaducto Bello Horizonte. À esquerda, a Serraria Souza Pinto, a agência dos Correios e Telégrafos, já demolida e, reinando absolutas, as torres da Matriz da Igreja São José. 
Foto do início da década de 1930.

Gymnasio Mineiro












Antigamente, o Gymnasio Mineiro funcionava no prédio onde funciona hoje o Corpo de Bombeiros, no alto da Avenida Afonso Pena. Em 1926, foi assentada a pedra fundamental de um novo edifício para a instituição de ensino na Avenida Augusto de Lima, atual Minascentro e antiga sede da Secretaria de Saúde. Foto da década de 1920. Fonte: Fundação João Pinheiro

Vista do Centro












A imagem mostra trecho do Centro, a partir da Avenida do Contorno, entre as Ruas Rio de Janeiro e São Paulo. Na esquina da Rua São Paulo com Rua Caetés, aparece o prédio, ainda em construção, do antigo Banco Comércio e Indústria de Minas Gerais. De aspectos monumentais, este importante exemplar da arquitetura eclética, projetado pelo arquiteto Ricardo Wriedt, ainda se mantém preservado, abrigando atualmente setor do SENAC. 
Foto da década de 1920. Fonte: Coleção Otávio Dias Filho.